Author Archives:




 Autoatendimento – RI da 1ª Zona de Porto Alegre Avalia Sucesso de Seu Autoatendimento

Uma das inovações tecnológicas de maior sucesso no Registro de Imóveis da 1ª Zona de Porto Alegre, na avaliação dos dados estatísticos analisados, tem sido o serviço de AUTOATENDIMENTO para o fornecimento de certidões atualizadas de matrículas imobiliárias aos usuários.
De acordo com os dados consolidados, relativos ao mês de abril do corrente ano, a média de atendimentos foi superior a 60 pessoas/dia. O menor número de certidões expedidas em um só dia foi de 76 e o maior foi de 109. A média diária está acima de 92 certidões.
Os dados revelam o significativo número de pessoas que não necessitam voltar ao Ofício Registral no dia seguinte para retirar a certidão solicitada, pois, no AUTOATENDIMENTO elas recebem o documento em, no máximo 15 minutos. No mês de abril deste ano, estima-se que em torno de 1.000 pessoas tenham comparecido à sede do Registro de Imóveis, sem a necessidade de retornar no dia seguinte para retirar sua certidão.
Confira, abaixo, o gráfico demonstrativo da evolução do AUTOATENDIMENTO no mês de abril/2014.

Fonte: AGÊNCIA GESTÃO NEWS, com colaboração de MARCOS TONIELLO e LUÍS EDUARDO BRUM
Em 5.5.2014.


 Autoatendimento no Registro de Imóveis da 1ª Zona

Entra em funcionamento, a partir de hoje, o serviço de autoatendimento no Registro de Imóveis da 1ª Zona de Porto Alegre.
Nessa primeira fase do projeto, o autoatendimento contemplará o fornecimento, ao usuário, de matrículas atualizadas de imóveis, num prazo máximo de 30 minutos.
Cada usuário que se utilizar do serviço, no terminal localizado junto à sala de espera, poderá solicitar, de uma só vez, até cinco certidões de matrícula atualizada, por pedido.

gerencia_ti_case

Ao chegar à recepção o usuário receberá sua senha e deverá dirigir-se ao terminal de autoatendimento, bastando digitar, na tela sensível ao toque, o número de sua SENHA, os dados de sua identificação (nome e CPF) e os números das matrículas desejadas, num máximo de cinco por pedido. Ao encerrar seu pedido, o usuário receberá, impresso, o talão do pedido feito, com o total a pagar e a senha para chamada.
Ao ser chamado, no máximo em 30 minutos, deverá dirigir-se ao caixa para fazer o pagamento e receber as certidões, as quais são expedidas com busca atualizada até as 9 horas do dia em que o pedido foi realizado.

Em breve, outros serviços serão oferecidos na modalidade de autoatendimento, como é o caso da possibilidade de realizar consultas a protocolos em andamento. Assim, continuamos com nossa política voltada a desenvolver constantemente produtos que ofereçam opções que facilitem a vida do usuário.

Fonte: Agência Gestão News, 1º.10.2013.


 Ataques contra bancos provocam perdas massivas, diz estudo

Moscou – Uma onda de ciberataques de novo estilo visa, desde 2013, bancos do mundo inteiro, e os russos são os mais afetados, causando perdas estimadas em quase um bilhão de dólares – é o que revela um estudo publicado nesta segunda-feira pelo grupo Kaspersky Lab.

A tentativa, ainda em curso, “indica claramente o advento de uma nova era da cibercriminalidade”, prevê o Kaspersky nesta pesquisa, divulgada neste final de semana pelo jornal New York Times.

Segundo o laboratório russo, cerca de cem bancos foram visados, e “ao menos metade deles sofreram perdas financeiras, a maior parte na Rússia, nos Estados Unidos, na Alemanha, na China e na Ucrânia”.

Se alguns sinais sugerem que a origem dos ataques está na China, a sociedade faz um alerta contra possíveis pistas espalhadas de propósito para enganar os serviços de segurança. As vítimas são majoritariamente russas.

Enquanto os ataques informáticos são utilizados de maneira crescente para fins geopolíticos, “a motivação dos atacantes (…) parece ser o ganho financeiro mais do que a espionagem”, segundo o estudo. Os autores ressaltam que os autores da fraude são “claramente familiarizados com os programas e redes de serviços financeiros”.

Os hackers usam um programa chamado “Carbanak” visando os funcionários dos bancos a fim de enganá-los com a ajuda de anexos por um método de “phishing”. Eles conseguem então entrar na rede dos alvos, e assim acessar operações de transferência de dinheiro, caixas eletrônicos e contas bancárias.

Os autores dos ataques conseguem fazer transferências diretamente para contas controladas por eles. Seu modo de operar vai até gravar imagens de sistemas de segurança interna para seguir as atividades dos empregados visados.

Os fundos desviados foram transferidos para contas nos Estados Unidos e na China, acrescenta Kaspersky.

A empresa chama atenção para o tamanho das somas desviadas: um banco que perdeu 7,3 milhões de dólares via saques em caixas eletrônicos, outro 10 milhões de dólares via operações online.

Segundo o relatório, os hackers tentam atualmente espalhar os ataques aos países da Europa Central e Oriental, assim como ao Oriente Médio, na Ásia e na África.

 

Fonte: Revista Exame


Pesquisar